Saturday, April 19, 2008

.
.
..
.
É uma história contada cantada. Misto de letra e música.
E voz, elemento primordial, a enobrecer, ainda quando banal a narrativa.
E representação, em enredos elevados ou burlescos.
.
Impetuosa e arrebatada. Emotiva.
A Ópera.
.
Canta Amor e Morte, sentimentos pungentes, lágrimas e sorrisos.
O destino dos seus compositores não foi diferente, idolatrados ou ignorados, conheceram sucesso ou miséria. Assim o dos seus cantores.
.
Herança histórica, inovação, sucessão de estéticas, em trânsito, refaz a História, no rasto de todas as artes. Diverte, moraliza, na simultaneidade do não simultâneo.
Lancinante ou hilariante.
.
.
.
.
A Ópera, feminina, temperamental.
Intemporal.
.
.

.
.
.
.
.
.

5 comments:

Anonymous said...

Na Ópera, quando se sai, volta-se sempre.

Porque o encantamento transmitido, por compositor, maestro, orquestra e cantores, assim o determina.
Quem entra, já não sai.
Nem obrigado.

Até já!

eusébio

peregrino said...

Olá, boa-noite, cara Teresamaremar!

Não sei se se trata de despedida temporária. Quer se trate, ou não, quero agradecer todos os bons momentos que aqui passei, e toda a aprendizagem de que beneficiei nas visitas que fiz a todos os teus blogues, sublimes espaços de cultura que muito aprecio.

Muito obrigado.

Desejo-te as maiores felicidades.

Com um abraço.

Anonymous said...

_________________________
__________________________
_______________________________.



subscrevo o comentário anterior.


.


.



piano.

elisabete cunha said...

QUERIDA E ADMIRADA TERESA

Maravilhoso!!

Aproveito para lhe informar que usei um texto seu no blog com devidos créditos. Caso não queira me avise que tirarei sem problemas!

Beijo e saudade!

ANAD said...

Gosto imenso deste blog.
Anad